Páginas

domingo, abril 09, 2017

Em Harvard, Olavo de Carvalho prova que 80% dos universitários brasileiros são analfabetos

Olavo de Carvalho, Eduardo Suplicy, Hussein Kalout em Harvard
Em palestra proferida na Universidade de Harvard, estudante questiona o filósofo Olavo de Carvalho e, involuntariamente, ajuda a provar que 80% dos universitários brasileiros são analfabetos funcionais.

O filósofo Olavo de Carvalho participou dia 7 deste mês da principal conferência sobre o Brasil na América, o Brazil Conference, realizado pela Universidade de Harvard e pelo MIT, o Instituto de Tecnologia de Massachusetts.

O autor de “Aristóteles em Nova Perspectiva” integrou um painel composto por Eduardo Suplicy, vereador da cidade de São Paulo pelo PT, e Hussein Kalout, secretário de assuntos estratégicos da presidência da república. O painel girou em torno do tema “Reformas Sociais no Brasil” e, como não poderia deixar de ser, teve como ponto alto a apresentação de Olavo de Carvalho, de longe o dono da mente mais brilhante de nosso país.

No momento das perguntas e em resposta à afirmação feita pelo filósofo de que 80% dos universitários brasileiros são analfabetos funcionais, uma aluna, enfezada, questionou a afirmação, alegando que “a discussão precisava ser embasada em algum nível de realidade”, no que foi prontamente endossada pelo mediador, que não hesitou em proclamar que “a evidência científica é fundamental”.

Como não tem por costume afirmar o que não pode provar, Olavo respondeu que a informação que apresentou é amparada por uma série de estudos realizados pela Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico, a OCDE, e por outras instituições. A estudante então citou um estudo feito pelo Instituto Paulo Montenegro e descartou a afirmação de Olavo.

Pois bem, fomos atrás da “evidência científica” e consultamos o estudo citado por ela. Ali encontramos a seguinte conclusão:

“A grande maioria de quem chegou ou concluiu a educação superior permanece nos grupos Elementar (32%) e Intermediário (42%), enquanto apenas 22% situam-se na condição de Proficiente da escala considerada“

O que isso significa? Significa que mais uma vez Olavo estava com a razão e que, aparentemente, não são só os universitários que estudam no Brasil que sofrem de algum tipo de dificuldade no manuseio de textos — e que se demonstram incapazes de ir além das conclusões subjetivas de um pesquisador e inferir, de um conjunto de dados, suas conclusões óbvias. Aqueles que estão em Harvard e no MIT não parecem estar em situação muito melhor, after all.

Filipe G. Martins
Senso incomum
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...