Páginas

domingo, 28 de setembro de 2014

Zé Reinaldo, o engenheiro da desconstrução Sarney

Quando fazia parte do grupo Sarney, o engenheiro José Reinaldo Tavares era definido por todos, inclusive opositores do grupo, como o “melhor quadro”, o mais preparado, disciplinado, enfim, o mais qualificado e competente.
Para quem ainda não conhece o seu currículo, vai uma pequena amostra:
Graduado em Engenharia Civil na Universidade Federal do Ceará, foi diretor do Departamento de Estradas e Rodagem (DER-MA), Superintendente da NOVACAP, Secretário de Viação e Obras do Distrito Federal, diretor-presidente do Departamento Nacional de Obras e Saneamento (DNOS), superintendente da Superintendência de Desenvolvimento do Nordeste(SUDENE), ministro dos Transportes (1986 a 1990), deputado federal de 1990 a 1994, secretário de Infra-Estrutura do estado do Maranhão, vice-governador do Maranhão(1995-1998) e governador do Maranhão.
Como engenheiro, José Reinaldo Tavares foi responsável pela construção das pontes José Sarney, que liga o centro histórico de São Luís ao bairro do São Francisco; e Costa e Silva, que liga o centro de Brasília ao Lago Sul. Foi ainda o responsável pela construção do Parque da Cidade de Brasília, antigo Parque Rogério Pitton Farias, onde fica a piscina de ondas de Brasília, o cartódromo e a sede da Policia Civil daquela capital. Participou ainda da construção das principais estradas que hoje são utilizadas no estado do Maranhão.
O verdadeiro início da mudança no Maranhão
Há décadas que parcela significativa da população do Maranhão clama por mudanças. Até o vizinho Piauí, outrora referencia negativa, e que hoje tem indicadores sociais bem melhores que os do Maranhão, registra a alternância no poder há anos.
Mas, para os que conhecem a política do Maranhão, a verdadeira mudança teve início no ano de 2004, com o rompimento de José Reinaldo com o grupo Sarney. Um amigo de longa data e que pediu anonimato nos disse que “O Zé Reinaldo é um homem de visão nacional. Ele não aceitava mais que o estado continuasse com aqueles indicadores sociais e econômicos péssimos. Aquilo o incomodava demais, ele tinha que mudar a forma de se administrar o Maranhão. Tinha que ser um choque de gestão, um rompimento total não apenas com aquele modelo, mas, principalmente, com o grupo que criou aquele estilo de governar e dele se beneficiava por décadas. As razões que se colocam para o rompimento do Zé Reinaldo com o Sarney são bem maiores do que as que dizem nas ruas”.
Em 2006 Zé Reinaldo põe em prática a sua primeira grande obra que simboliza a mudança política no Maranhão, e coordena a eleição do seu sucessor, o médico Jackson Lago, histórico opositor seu e do grupo Sarney.
O “crime” e a pena
Julgado e condenado pelo tribunal familiar do velho mandatário, pelo “crime” de ter tirado das mãos da filha querida e mimada do “dono do mar e das terras” o seu brinquedinho predileto, o estado inteiro, Zé Reinaldo foi preso injustamente e o seu sucessor, Jackson Lago, cassado.
Agora, exatos oito anos depois, Zé Reinaldo, com a sua paciência de atleta disciplinado em vários esportes (ele pratica tênis, basquete e vôlei, entre outros), realiza, ainda segundo a fonte que pediu anonimato, não a obra de desconstrução, mas “a obra de implosão” do grupo Sarney, ao participar de forma decisiva da vitória já em 1º turno, segundo todas as pesquisas, de Flávio Dino ao governo do Maranhão.
Para completar, Zé Reinaldo deverá ser, segundo este blog ouviu de várias fontes no estado, o deputado federal mais votado da coligação.
Blog do Paulinho

domingo, 14 de setembro de 2014

Com 56%, Flávio Dino tem o dobro das intenções de voto de Edinho Lobão, aponta Exata



A três finais de semana da eleição, nova pesquisa de intenção de voto apresenta vitória no primeiro turno de Flávio Dino, candidato da Coligação Todos pelo Maranhão. A pesquisa Exata/TV Guará/Fiema divulgada neste domingo (14) aponta Flávio Dino com o dobro das intenções de voto de Edinho Lobão: 56% a 28%.

Os candidatos Saulo Arcâgelli, Zéluis Lago, Antônio Pedrosa e Josivaldo Corrêa tiveram 1% cada um. Brancos e nulos tiveram 6%. E 6% dizem não saber ainda em quem votar.

Considerando apenas os votos válidos, o candidato Flávio Dino tem 63% das intenções de voto contra 31% de Edinho. Os outros candidatos somam 6%.

O questionário da pesquisa Exata/TV Guará/Fiema está registrado sob protocolo MA-0045/2014 e ouviu 1.400 mil pessoas em 45 municípios maranhenses entre os dias 9 e 13 de setembro.

Ampla vantagem

Em todas as pesquisas realizadas até o momento, Flávio Dino aparece na frente, mesmo na pesquisa Ibope, contratada pelo grupo Sarney. Flávio Dino vem se destacando nacionalmente no cenário político por contra da luta contra a oligarquia, e veículos nacionais já destacam a queda da família Sarney.

Se a eleição fosse hoje, Flávio seria eleito no primeiro turno – um cenário que vem sendo confirmado por todas as pesquisas registradas e divulgadas até agora.

Edinho Lobão não tem conseguido mudar seu índice de rejeição (39%), mesmo após a campanha na televisão. Suas propostas não têm sido bem aceitas pela população e o recente escândalo da Petrobras envolvendo seu pai, o ministro de Minas e Energia, Edison Lobão, piorou ainda mais o cenário para o candidato.

Marina ataca opositores e diz sofrer injustiças


FOTO: KLÉBER A. GONÇALVES 
A candidata à presidência da República pelo PSB, Marina Silva, esteve ontem em Fortaleza, juntamente com o postulante a vice, Beto Albuquerque, para participar de comício e encontro com representantes da Federação das Indústrias do Ceará (Fiec). Ainda no fim da noite, Marina inaugurou o comitê suprapartidário em apoio à sua candidatura no Ceará. Hoje, a presidenciável cumpre agenda em Sobral.

As atividades da ex-senadora no Ceará iniciaram na Praça do Ferreira, no Centro de Fortaleza. O evento estava marcado começar às 17 horas, mas Marina só chegou ao local uma hora depois, às 18 horas, permanecendo por uma hora e meia no local.


FOTO: KLÉBER A. GONÇALVES 
No discurso feito, Marina Silva criticou as ofensas que estaria sofrendo nas redes sociais pelas candidaturas adversárias. Ela chegou a dizer que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva está cometendo "as mesmas injustiças" feitas contra ele no passado, ressaltando que ela o defendeu muitas vezes. "Eles repetem as mesmas injustiças contra mim, com o mesmo punhal enferrujado enfiam em mim", declarou.

Citando algumas passagens bíblicas, a postulante afirmou que o Governo Federal está utilizando a máquina pública para atacar sua candidatura como "um batalhão de Golias contra Davi". A candidata pediu aos militantes presentes, principalmente aos jovens, para que façam o que chamou de "defesa da verdade" nas redes sociais.

Filha de cearenses, Marina Silva utilizou o discurso do sofrimento e da pobreza, quando morava no Acre, e se emocionou ao falar da fome que passou quando criança. Praticamente durante todo o discurso, a candidata foi interrompida por manifestantes do movimento LGBT, que chegaram na praça à tarde e ensaiaram palavras contra Marina e gritos de ordem em apoio a Dilma Rousseff.

Petrobras

Segundo Marina Silva, nem Aécio Neves (PSDB) nem a presidente Dilma têm planos de Governo. Ela voltou a afirmar que, caso eleita, a Petrobras será dirigida por técnicos com competência e boa gestão pública, e não por indicação política. "A Petrobras se tornou sinônimo de corrupção, e ela (Dilma) vai deixar tudo do mesmo jeito", criticou, em referência às denúncias de corrupção da estatal.

Marina insinuou que a campanha de Dilma é feita por grandes estruturas e pelo uso de marqueteiros, além do grande espaço televisivo por conta dos apoios de partidos políticos. Ela prometeu instituir o passe livre para estudantes, ajudar os estados no combate à violência, demarcar terras indígenas e aumentar os repasses para o Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf).

O candidato a vice-presidente pelo PSB, Beto Albuquerque, declarou que Dilma Rousseff e Aécio Neves não têm compromisso com o povo do Brasil, pois não apresentaram programas de Governo. Ele criticou a demora na entrega de obras importantes para o Nordeste, como a Transnordestina e a Transposição das Águas do Rio São Francisco.

"A Dilma não está aí só há três anos, ela está há 12 anos. Onde está a Transnordestina? Onde está a Transposição do São Francisco?", questionou o postulante, reclamando de "calúnias" contra a chapa do PSB que disputa a Presidência da República.

Candidata quer atrair votos de Dilma

Antes de subir ao palanque montado na Praça do Ferreira para a realização do comício, a candidata a presidência da República Marina Silva (PSB) detalhou como sua campanha tentará reverter o favoritismo que a presidente Dilma Rousseff (PT) possui no Ceará e na maioria dos demais estados do Nordeste, segundo as últimas pesquisas de intenção de voto.

De acordo com Marina Silva, a estratégia adotada atrair o eleitorado da petista será manter o debate sobre seu programa sem entrar no embate com os demais candidatos. "Enquanto os nossos adversários não apresentaram programa e estão espalhando boatos, mentiras, calúnias, nós vamos continuar fazendo o debate e não o embate. Nós queremos que o Brasil continue com essa caminhada da mudança, da transformação e da renovação da política", frisou.

A presidenciável do PSB destacou ainda que, para reverter esse cenário, vai focar o debate principalmente nas áreas da educação, segurança pública e saúde. "É continuar fazendo o debate do nosso programa de Governo, mostrando o que nós vamos fazer para a educação, com a educação em tempo integral, que melhora a qualidade do ensino, como melhorou em Pernambuco", defendeu Marina.

"Vamos continuar debatendo o passe livre para os estudantes, a segurança pública que aumentou em vários estados do Nordeste, inclusive aqui no Ceará. Vamos continuar investindo para que a saúde tenha os 10% da arrecadação bruta", complementou Marina Silva.

LGBT

A presidenciável acusou os adversários de não aprofundar os programas e assegurou que o projeto dela para o movimento LGBT é mais qualificado do que o defendido por Aécio Neves e Dilma Rousseff.

"O nosso programa é o que tem as melhores propostas para o movimento LGBT. Façam vocês que são jornalistas um quadro comparativo com as propostas do Aécio, da Dilma (...) Nós vamos continuar com a verdade e a verdade é que o Aécio não apresentou nenhuma proposta, a Dilma não apresentou e disse que não vai apresentar", alegou.

A candidata do PSB também prometeu que vai, já no primeiro mês como presidente da República, enviar ao Congresso Nacional uma proposta para garantir a reforma tributária voltada para os princípios da simplificação dos impostos, da justiça fiscal e da transparência. "Boa parte do tempo e dos investimentos em pessoal é utilizado para poder vencer a burocracia dos impostos", pontuou Marina Silva.

A candidata também voltou a garantir que irá manter alguns dos projetos criados durante o governo do PT. "Nós vamos manter o Bolsa Família, nós vamos manter o Minha Casa Minha Vida, nós vamos manter o Mais Médicos", acrescentou.

Fonte: Diário do Nordeste
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...