Páginas

domingo, 28 de abril de 2013

Se calarem a voz dos profetas, as pedras falaram.


Meditando um pouco sobre esses tempos violentos em que nós vivemos em Araioses. Tempos em que não podemos ter uma opinião, sob pena de sermos excluídos, mas se insistimos em ter, expressa-la pode ser um risco: para os negócios (caso fiscalização da vigilância por ordem da procuradoria do município),risco à intimidade (caso invasão do computador pessoal) e um risco até para a integridade física ou a própria vida (caso perseguição na BR entre sede e João Peres, ameaças de morte pelo celular e de surra por gente do governo).E lembrei das palavras de Jesus: “No mundo tereis tribulações, mas coragem! Eu venci o mundo. João 16.33.


E estas palavras me deram animo para continuar a luta em defesa do nosso povo, que se sente amedrontado com a forma truculenta que está sendo tratado. Mas nós não nos acovardamos diante dos poderosos, nós somos araiosenses, terra de heróis destemidos, buscamos o progresso e não tememos os caminhos vencidos, não permitiremos que ninguém nos tire o orgulho de vivermos na terra da paz e do amor.

E continuando minha meditação, lembrei-me de outro fato bíblico muito interessante: Jesus entrava em Jerusalém e todo o povo o recebia com grande alegria, com cânticos e louvores a Deus, uns estendiam ramos e outros até seu próprio manto para que Jesus passasse por cima. Isso causou indignação aos fariseus que ordenaram a Jesus que pedisse ao povo que parasse com tamanha manifestação. E a resposta de Jesus para aqueles homens poderia ser também a resposta para mim e para aqueles que tentam hoje silenciar o grito do povo através de seus representantes. “Se calarem a voz dos profetas, as pedras falaram”.
Jesus nos deu ai um grande ensinamento; não se pode atentar contra a verdade com nenhum tipo de censura, por que ela prevalecerá se não pela nossa boca, mas pela boca de outros.

Vejam o caso de Araioses, quanto mais os donos do poder perseguem os comunicadores que denunciam a opressão do nosso povo, mais vozes surgem e engrossam a luta em defesa da nossa dignidade.

Com destaque para o mais recente; Revista Itamagú, mas antes já tinha o Itamagú, Inspetor Bugiganga, Véi do Chapeuzão, Blog do Edu Santos, Itamagú-Araioses, Araioses te Amo, Cidade Diário, Marcio Maranhão e tantos outros que não me recordo agora e mais os que ainda surgiram. Muitos pelo clima de tensão e por terem certeza que estariam colocando suas vidas em perigo, preferem como nos tempos da ditadura, usarem epíteto, por saberem que em Araioses a liberdade de imprensa é na medida da vontade do governo e a democracia está ferida.

Mas nem isso tem nos obrigado baixar a cabeça para os novos coronéis. Por mais que o governo de Valeria e seu pai Manin tentem nos calar, seus esforços são subtraídos pela multiplicação de blogueiros que se levantam e reafirmam que em Araioses quem manda é os araiosenses. Mesmo que comprem a radio com todos seus sócios, sindicatos e lideranças. Nossa dignidade não tem preço e nosso silencio não está à venda.

Marcio Maranhão

sábado, 27 de abril de 2013

Minha casa, meu negócio.


Por Josie Jeronimo

Num claro conflito de interesses, parlamentares lucram com contratos milionários do maior programa habitacional do governo. Políticos são beneficiados na venda de terrenos e ao colocar suas próprias empreiteiras para tocar as obras.

De vitrine do governo Dilma Rousseff à vidraça para os órgãos de controle, o programa Minha Casa, Minha Vida se tornou uma fonte de problemas e fraudes. Nas últimas semanas, o jornal "O Globo" denunciou que ex-servidores do Ministério das Cidades integrariam um esquema para ganhar contratos de habitação destinados às faixas mais pobres da população. Os antigos funcionários das Cidades não são, porém, os únicos que lucram com um dos principais programas sociais do governo. Levantamento feito por ISTOÉ indica que a política habitacional criada para ajudar os mais pobres enriquece também deputados e senadores. Os parlamentares se aproveitam de um filão imobiliário que já movimentou R$ 36 bilhões em recursos públicos para a construção de 1,05 milhão de casas e apartamentos para famílias de baixa renda. Os dados do Fundo de Arrendamento Residencial (FAR) – reserva financeira composta por recursos do FGTS e gerenciada pela Caixa Econômica Federal – mostram que parlamentares de diferentes partidos têm obtido vantagens financeiras com o programa de duas maneiras: na venda de terrenos para o assentamento das unidades habitacionais e na obtenção de contratos milionários para obras que são realizadas por suas próprias empreiteiras. Entre eles, os senadores Wilder Morais (DEM-GO) e Edison Lobão Filho (PMDB-MA), filho do ministro de Minas e Energia e presidente da Comissão de Orçamento do Senado, e os deputados Inocêncio Oliveira (PR-PE), Augusto Coutinho (DEM-PE) e Edmar Arruda (PR-PR).
Os deputados Augusto Coutinho, Inocêncio Oliveira e os senadores Wilder Morais e Lobão Filho (da esq. para a dir.) têm sido favorecidos pelo programa Minha Casa, Minha Vida
O procurador Marinus Marsico, representante do Ministério Público no Tribunal de Contas da União (TCU), não tem dúvidas da irregularidade de tais práticas. Segundo ele, a utilização de financiamento habitacional de programa do governo a empresas de parlamentares constitui, no mínimo, conflito de interesses. “O parlamentar é um ente público. Assim, quando firma contrato com recursos públicos, ele está dos dois lados do contrato, porque ele é responsável por gerir ou fiscalizar essas verbas. Há uma incompatibilidade. Não é possível servir a dois senhores. Ou você é administração pública ou é empresa”, critica Marinus. Na terça-feira 23, a própria presidenta Dilma admitiu a possibilidade de haver irregularidades no programa e foi enfática ao dizer que o governo tem a obrigação de investigá-las.

Os casos levantados pela reportagem, segundo o procurador, podem ser apenas uma mostra de um crime muito maior. É prática corrente colocar empresas e imóveis, como terrenos, em nome de terceiros, o que dificulta a fiscalização. Mas em Pernambuco o vínculo com o parlamentar beneficiado é direto. No Estado, nove mil das 20 mil casas prometidas pelo programa do governo federal já foram entregues. A especulação imobiliária é intensa, como também é grande a oferta de enormes áreas para a construção das casas populares. Apesar disso, a construtora Duarte, uma empreiteira local que abocanhou o contrato para erguer 1.500 casas no município de Serra Talhada, escolheu justamente as terras do deputado Inocêncio Oliveira (PR-PE) para construir as habitações.

A área de 34 hectares foi adquirida pelo parlamentar 30 anos atrás, antes de ser desapropriada pelo Departamento Nacional de Obras Contra a Seca (Dnocs). Era parte de uma fazenda, que foi dividida em vários lotes. O lote em questão foi declarado por Inocêncio à Justiça Eleitoral em 2010 pelo valor de R$ 151 mil. No mesmo ano, ele vendeu o terreno à construtora do programa Minha Casa, Minha Vida por R$ 2,6 milhões, de acordo com registros do cartório do 1º ofício de Serra Talhada. Ou seja, uma valorização espontânea de 1.600%. Procurado por ISTOÉ, Inocêncio confirmou o negócio, mas disse ter recebido “apenas R$ 1 milhão”, dando a entender que a empreiteira registrou valor diferente. O parlamentar disse ainda desconhecer o uso da área. “Eu não tenho nada a ver com a Caixa. Vendi para uma empresa particular”, afirma. Coincidência ou não, o negócio foi fechado no fim de 2010, momento em que a prefeitura de Serra Talhada era comandada por Carlos Evandro, do PR, um colega de partido de Inocêncio.
No Recife, o deputado federal Augusto Coutinho (DEM) também tenta tirar proveito do programa Minha Casa, Minha Vida, seguindo o exemplo de Inocêncio Oliveira. O governo negocia com o parlamentar a compra de uma área de 2.400 metros localizada no bairro de Campo Grande para construção das casas populares. As terras estariam registradas em nome de sua construtora, a Heco. Os valores precisos da negociação não foram divulgados. Coutinho já declarou que não aceita menos de R$ 300 mil para ceder o terreno para o Minha Casa, Minha vida. O caso, no entanto, deve parar na Justiça. A prefeitura, nas mãos do PSB, alega que a área é de propriedade da Marinha.

Outro jeitinho arranjado pelos parlamentares para lucrar com o programa federal é fechar contratos com suas próprias empreiteiras para a construção das unidades habitacionais. Segundo dados da Caixa Econômica Federal, obtidos por ISTOÉ, um dos barões do Minha Casa, Minha Vida é o senador Edison Lobão Filho (PMDB-MA), presidente da Comissão de Orçamento do Senado. Até o fim do ano passado, ele já havia embolsado R$ 13,5 milhões por meio de contratos firmados por sua empreiteira, a Difusora Incorporação e Construção. Um dos empreendimentos populares de Edinho, como ele é conhecido no Senado, financiados pelo Fundo de Arrendamento Residencial, está sendo erguido no município de Estreito, a 700 quilômetros de São Luís.

O município tem atraído investimentos milionários desde que recebeu o canteiro de obras da usina hidrelétrica de Estreito em 2007 – empreendimento de R$ 1,6 bilhão do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC). A população local cresceu 60%, saltando de 25 mil habitantes para 40 mil. No mês passado, a Caixa Econômica Federal abriu sua primeira agência no município e anunciou investimentos de R$ 57 milhões para construir mil casas.

No Paraná, em pelo menos três municípios, imóveis do Minha Casa, Minha Vida levam o selo da Cantareira Construções. A empreiteira pertence ao deputado Edmar Arruda (PR-PR). Só da Caixa, a Cantareira recebeu R$ 65,5 milhões até o fim de 2012. E a empresa do deputado fechou novo contrato para construir 400 casas no município de Paranavaí, um acerto de R$ 30 milhões. Os recursos, desta vez, virão do Banco do Brasil. Acumulando as funções de representante do Legislativo e presidente do Grupo Cantareira, Arruda percorre municípios do Estado discutindo com prefeitos projetos de ampliação do Minha Casa, Minha Vida. Em um evento na Câmara Municipal de Ivatuba (PR), no fim de 2011, Arruda foi homenageado por anunciar um empenho de R$ 300 mil de uma emenda parlamentar para a cidade. Na mesma reunião, aproveitou para fazer lobby pela construção de 140 casas do programa Minha Casa, Minha Vida. O próprio deputado-empreiteiro, sem nenhum constrangimento, explicou aos vereadores que o município precisaria captar R$ 2,3 milhões com o programa do governo para tirar as habitações do papel. Procurado, ele alegou que já foi sócio da empresa, mas hoje não faz mais parte dela. Embora, na reunião com os prefeitos, ele seja apresentado como presidente do Grupo Cantareira, Arruda diz que a empresa “está em poder da sua família”, como se isso resolvesse o conflito de interesses. Arruda argumenta ainda “que o dinheiro do Programa Minha Casa, Minha Vida não é público e que advém de recursos oriundos de fundos como o FAT e o FGTS”.

No Estado de Goiás, a história se repete. Em Nerópolis, município próximo a Goiânia, a Orca Incorporadora constrói o conjunto residencial Alda Tavares. A empreiteira é do senador Wilder Morais (DEM), que assumiu o gabinete de Demóstenes Torres após sua cassação por envolvimento com o bicheiro Carlinhos Cachoeira. Até o final de 2012, só em contratos com a Caixa, a empresa de Morais faturou R$ 42,1 milhões. O empreendimento de Nerópolis está sendo investigado pelo Ministério Público de Goiás depois que moradores relataram que as casas lá são feitas com chapas metálicas. Os choques elétricos são rotina, um dos beneficiados do programa disse que seu cachorro morreu eletrocutado no quarto do filho. A construtora do senador também tem empreendimentos populares em Aparecida de Goiânia. Procurado por ISTOÉ, Morais não retornou as ligações. Questionada pela reportagem, a Caixa também não se manifestou. O ex-superintendente da Caixa Econômica Federal José Carlos Nunes diz que os métodos de escolha dos terrenos e empresas para o Minha Casa, Minha Vida ainda não são uniformes. “Tudo fica a critério da Caixa, que escolhe quem quer”, critica Nunes.

Fonte:ISTOÉ
Edição:Marcio Maranhão

Rapidinhas com Gato Mestre


Mosca na sopa I
Mas duas instituições de defesa da liberdade de imprensa manifestam apoio ao blogueiro Marcio Maranhão. E estão de olhos voltados e bem abertos para Araioses. Qualquer sinal de abuso de poder, perseguição ou cerceamento de qualquer comunicador da cidade, as associações prometem não ficaram impunes.

Mosca na sopa II
Marcio Maranhão em parceria com o jornalista Emerson Marinho, lança mais um canal na internet, que servirá a todos os Araioses com noticias locais e nacionais, do nosso estado e tudo o que acontece na capital São Luís. Trata-se do site www.cidadediario.com.br.

Mosca na sopa III
Cresce o numero de blogueiros que denunciam o terror e a corrupção em Araioses. Para desespero de Manin, só de blogueiros que usam epíteto Itamagú já se conta quatro e crescendo! ...
Mosca na sopa IV
Raul Seixas
Eu sou a mosca / Que pousou em sua sopa / Eu sou a mosca / Que pintou prá lhe abusar... (3x)
Eu sou a mosca / Que perturba o seu sono / Eu sou a mosca / No seu quarto a zumbizar...(2x)
E não adianta / Vir me detetizar / Pois nem o DDT / Pode assim me exterminar / Porque você mata uma / E vem outra em meu lugar...
Eu sou a mosca / Que pousou em sua sopa / Eu sou a mosca / Que pintou prá lhe abusar...(2x)

-"Atenção, eu sou a mosca / A grande mosca / A mosca que perturba o seu sono / Eu sou a mosca no seu quarto / A zum-zum-zumbizar / Observando e abusando / Olha do outro lado agora / Eu tô sempre junto de você / Água mole em pedra dura / Tanto bate até que fura / Quem, quem é? / A mosca, meu irmão!"
Gato Mestre

quarta-feira, 24 de abril de 2013

Rapidinhas com o Gato Mestre


O bicho ainda não comeu, mas correram e o bicho pegou.

As temidas audiências pelo governo de Valeria do Manin finalmente aconteceram, não teve dor de barriga nem na cabeça que conseguiu adiar dessa vez. Até tentaram novamente, mas o esforço foi em vão. Dr Gerusa foi irredutível e conduziu os trabalhos na primeira audiência que se tratava de uma Ação de Investigação Judicial Eleitoral – AIJE e a segunda, uma carta de ordem para ouvir testemunhos e depois enviar para o TRE – MA.

O bicho ainda não comeu, mas correram e o bicho pegou II.

Manin novamente quis aparecer mais que todo mundo, mas dessa vez não deu certo. Tentou permanecer na sala de audiência como se sua presença ali fosse importante ou necessária. Como nem importante e nem necessário ele é; foi ordenada sua retirada imediatamente, o que foi cumprido pelos seguranças do fórum à contra gosto do coronel.

O bicho ainda não comeu, mas correram e o bicho pegou III.

Tem blogueiro que sem saber o que dizer da audiência, se resume em falar de carro parado em frente o Fórum. O carro em questão é o da ex-prefeita que estava estacionado em frente o local da audiência. Por sinal o carro é muito bonito, mas isso não era caso necessário a se saber em meio a uma audiência importante.
Vai uma dica de um primo: “Às vezes é melhor permanecer calado e parecer um idiota, que abrir a boca e acabar com a duvida”.
Vou pedir que faça uma matéria sobre minha bicicleta, ela requer cuidados e um pouco de atenção nunca fez mal a ninguém.

O bicho ainda não comeu, mas correram e o bicho pegou IV.

Cresce as ameaças ao blogueiro Marcio Maranhão, dessa vez testemunhas viram e ouviram em frente o Fórum, exatamente no dia em que o mundo relembra a morte de outro blogueiro, Décio Sá. Uma pessoa da alta burguesia ameaçar Marcio Maranhão.

Em resposta as ameaças, o blogueiro afirmou: “se tiver que me tornar um mártir e derramar meu sangue para abrir os olhos do meu povo, estou disposto ir até o fim. Mas quero avisar que associação de profissionais de comunicação a que faça parte já esta avisada, e espera apenas o menor ato de perseguição a minha pessoa para acampar em Araioses, tomar todas as medidas judiciais e levar o caso as manchetes nacionais. Além de outras instituições de defesa da liberdade de imprensa”.

sábado, 13 de abril de 2013

Perdeu a chance de ficar calado – PARTE I


Caríssimos amigos leitores, desde o lançamento deste site, que se presta a ser uma voz urrante em defesa daqueles que diante do massacre dos poderosos, não tem tido vez nem voz; tenho recebido diversos sinais intimidatórios: mensagens no celular, nas redes sociais e até fui seguido como relatei no artigo, EM ARAIOSES... A IMPRENSA QUE ELES QUEREM. Publicada no dia 05 do corrente mês. Mas o que me surpreendeu euforicamente foi o pedido do Secretario de Comunicação do Município de Araioses, o senhor Daby Santos, pedir ao senhora Valeria que tome providencias sendo verdade ou não a meu respeito e que não deixe barato a despeito das denuncias publicadas no meu site, provenientes de uma funcionaria do PSF de João Peres e familiares de crianças que receberam as doses das vacinas apontadas como vencidas.

Antes de entrar no mérito, quero dizer para os jovens, futuro da nossa Araioses, que não repitam jamais tamanha barbaridade. O que este indivíduo fala, é o total exemplo do que não se deve fazer em uma democracia, quando se tem apreço pelo bem comum e das instituições. A postura correta de qualquer cidadão, ainda mais quando este ocupa cargo publico, diante de uma denuncia como esta, feita pelos agentes envolvidos, técnica em enfermagem e paciente, é apurar o ocorrido, verificar causas e consequências, punir os culpados pela irresponsabilidade, dar assistência às vitimas do erro,vir a publico e esclarecer a população o que está acontecendo,trazendo a luz da verdade os fatos. O que realmente ocorreu ou não. E não perseguir aqueles que falam em nome de uma sociedade que noite e dia clama pelo mínimo do mínimo, o necessário para a sobrevivência.

Tomar as providências. Não deixar barato, quero pensar que seja; não por medo,mas por amor ao meu povo.O fazer justiça a essa gente:A criança que passou mal  e aos responsáveis por gravíssimo erro.E não tentar calar a minha voz. Mas se isto por acaso tiver passado pela cabeça do senhor Daby e de seus superiores,gostaria de lembra-los o que diz nossa Constituição Federal a respeito da liberdade de expressão e informação em seus arts. 5° e 220. As principais disposições normativas são:

Art. 5°, IV - é livre a manifestação do pensamento, sendo vedado o anonimato;

Art. 5°, IX - é livre a expressão da atividade intelectual, artística, científica e de comunicação, independentemente de censura ou licença;

Art. 5°, XIV - é assegurado a todos o acesso à informação e resguardo do sigilo da fonte, quando necessário ao exercício profissional;

Art. 220 - A manifestação do pensamento, a criação, a expressão e a. informação, sob qualquer forma, processo ou veículo, não sofrerão qualquer restrição, observado o disposto nesta Constituição.

§1° - Nenhuma lei conterá dispositivo que possa constituir embaraço à plena liberdade de informação jornalística em qualquer veículo de comunicação social, observado o disposto no art. 5°, IV, V, X, XIII e XIV;

§2° - É vedada toda e qualquer censura de natureza política, ideológica e artística.


Desejo lembrá-los ainda,que é por vontade do povo que estas informações estão vindo a tona.E como diz Dom Pedro Casaldáliga: “.Não existe nada mais subversivo,do que a morte de um marte”.

Isso por que é o povo que nos procura, pra falar das suas dores, para relatar o mau tratamento que tem recebido na educação, saúde e tudo mais neste governo. Por tanto senhor Daby, se calarem a minha voz, mil vozes outras surgiram.

Outro fato curioso da infâmia do cidadão. É ele, o próprio, falar agora de credibilidade. ”Logo tu, ó Brutus”!De quem o caráter não precisamos falar mais nada. E ainda me chamar de mentiroso; confesso que tinha até certa admiração por vossa excelência, mas sua colocação foi tão baixa, tão baixa, que quase se iguala a vossa própria pessoa.

Quanto a outras injurias feitas por vossa senhoria a minha pessoa digo; se fosse proferida por qualquer cachorro vira lata da rua daria um pouco mais de atenção, mas como se trata de insignificante pessoa me reservarei apenas as provas e aos autos protocolados no ministério publico.

Querendo mais, trarei também em outra oportunidade o depoimento da mãe e da criança que passou mal ao receber a dose da vacina vencida.













 


















Material protocolado no Ministério Publico.

Marcio Maranhão

terça-feira, 9 de abril de 2013

Daby diz que Valeria quer oposição sem dor de cotovelo.


Parece que os anos de oposição do senhor Daby, lhe fez garantir uma grande bagagem de conhecimento. A final, não há nada que nos ensine mais, do que nossos próprios erros. E erros, equívocos, exageros, vacilos  gafes e outros do gênero, foram uma constante, nos últimos anos do senhor agora cego, surdo e mudo.


Talvez por conta do descontentamento do cacique rei, que hora ou outra vem falando mal do desempenho fraco e ineficiente de seu secretario de comunicação. Daby anda pra cima e pra baixo com sua moto e a tira colo uma câmera fotográfica, em uma tentativa, que se atentarmos bem parece mais desespero, de mostrar serviço para o Manin e continuar ganhando seus trocados.

Mais eis ai a fonte de todo problema: quanto mais ele se esforça, demonstra mais sua fragilidade. Basta lembrar para quem acompanha assiduamente seu site, de algumas matérias postadas inicialmente, mas que não agradaram o governo e foram retiradas de imediato. E mais cômico e controverso ainda, é sua nova postura, atacando a linha de trabalho que o próprio se utilizou durante muito tempo.

O senhor Daby acha que o povo de Araioses não tem memória, agora ele fala de uma oposição com dor de cotovelo, elencando os sintomas que ele mesmo sentiu durante muito tempo, mas que só agora descobriu a doença. Pois não era então essa mesma dor de cotovelo que o fez por quatro anos esbaforir seu ódio em uma emissora que lhe dava o sustento diário e que saiu ainda falando mal da mesma?Agora vem afirmar: “oposição tem que ser construtiva e respeitosa para poder melhorar o município”.

Isso é óbvio, o que não entendemos é por que não agistes assim cara pálida!Ou todos aqueles insultos e insolências ao povo, ao governo e principalmente contra uma autoridade constituída e eleita democraticamente pela vontade do povo tinha uma alguma coisa de construtivo e respeitoso?

E o que dizer ainda de sua perseguição incansável agora por ITAMAGÚ Como que o cidadão começa seu texto falando de democracia, e no mesmo discurso afirma que não terá mais paz enquanto não descobrir a identidade do blogueiro. Diz ainda que nunca ágil assim, sempre foi uma oposição de cara limpa. Ora, não foi próprio Daby que criou o fictício ITAMAGÚ para atacar Luciana Trinta durante 4 anos meus amigos?Eu o desafio agora, diga quem era o senhor ITAMAGÚ de seu blog?

Mas o que me intriga mais... Se vivemos em uma democracia e temos direito a liberdade de pensamento e de opinião. Por que o senhor Daby não terá mais paz, enquanto não descobrir a verdadeira identidade de ITAMAGÚ?Se este só tem falado a verdade e exposto às vísceras de um governo que ainda não se encontrou. E quando Daby descobrir, o que fará?A final tem alguma mentira no blog de ITAMAGÚ que mereça retratação ou vingança?E se tem por que o governo não se pronuncia nos veículos de comunicação ou por meio de nota oficial, através de sua assessoria de imprensa?

ITAMAGÚ TEM O MEU RESPEITO E O RESPALDO DA POPULAÇÃO DE ARAIOSES. BASTA VER OS NÚMEROS DE VISITANTES EM SUA PAGINA NA INTERNET. E ACHO QUE O SENHOR DABY DEVERIA NO MINIMO AGRADECER, POR TER ALGUÉM QUE FAZ ALGUMA COISA EM DEFESA DA NOSSA GENTE,ENQUANTO ELE SE OMITE POR ALGUMAS MOEDAS,BAJULANDO UM GOVERNO QUE SÓ SABE FECHAR RUAS,PARA REVIRAR PEDRA,DEIXANDO O CALÇAMENTO AINDA MAIS FRAGILIZADO,QUE ATÉ CARRO DE PASSEIO LEVANTA E DEIXA O BURACO AINDA MAIOR.

Quanto o trabalho voltado para os mais carentes, confesso que fiquei mais confuso. Será que ele estava falando dos pais de família que tiveram suas casas e colheitas destruídas na desapropriação do terreno da Ifma. Ou das podres mães e crianças desabrigadas pela enchente e que ganharam do governo federal uma moradia, mas viram suas casas sendo invadidas com o consentimento da prefeitura por pessoas que não precisavam e que nem inscritas no programa Minha Casa, Minha Vida, estavam.

Marcio Maranhão

segunda-feira, 8 de abril de 2013

Candidato do grupo Sarney em 2014 será Lobão, afirma Edinho


Em entrevista exclusiva ao Blog do John Cutrim, o empresário e suplente de senador Edison Lobão Filho (PMDB) afirma que seu pai, o ministro de Minas e Energia, Edison Lobão (PMDB), só não será candidato ao governo novamente "se a voz não deixar". Eis a postagem feita por John Cutrim no portal do Jornal Pequeno:
‘É minha primeira entrevista a um blog, você está com moral’. Foi nesse clima que o senador Edison Lobão Filho (PMDB-MA) conversou conosco por cerca de uma hora e meia, na tarde de sexta-feira, em seu escritório no sistema Difusora de Comunicação, de sua propriedade. Edinho, como é chamado por familiares, amigos e políticos, não fugiu de nenhuma de nossas ‘interpelações’. A primeira delas, logo de cara, foi quanto à candidatura do pai, o ministro de Minas e Energia, Edison Lobão, ao governo do Estado em 2014.
Franco, direto e objetivo, Edinho disse que se o pai vai ou não disputar novamente o Palácio dos Leões, isso dependerá exclusivamente das condições da sua voz. “Se meu pai decidir ser candidato, automaticamente o Luís Fernando deixa de ser candidato e passa a ser um grande cabo eleitoral dele e com certeza fazendo parte seja na chapa, seja no governo”, afirmou Edinho, de maneira muito clara, sem desmerecer o ‘adversário’ interno pela vaga.
Numa entrevista em que alternou momentos de humor, seriedade e até de tensão, Edinho Lobão revelou que a decisão única que terá que tomar o ministro Lobão – se é postulante ou não ao governo no ano que vem cabendo ao grupo somente acatar a decisão tomada – faz parte de um acordo com a governadora Roseana Sarney e o secretário de Infraestrutura do Estado, Luís Fernando Silva.

“Se em março meu pai disser que é candidato, acabou, o Luís Fernando tem caráter e personalidade suficiente para dizer que a vaga ao governo é do meu pai, tem mais história”, vaticinou Edinho, ao se aproximar do titular do blog e fitar o olhar incisivamente no intuito de demonstrar firmeza no que estava falando.
Sem deixar esconder sua vontade, era visível no semblante de Lobão Filho o desejo de ver o pai candidato mais uma vez ao governo. “O ministro Edison Lobão acabou de ser candidato, teve mais de dois milhões de votos, foi campeoníssimo eleitoral no nosso estado apenas dois anos atrás. Isso mais do que a história dele o cacifa para ser o candidato natural. Eu já disse a ele, meu pai eu dou condições no palanque, eu dou potência no amplificador, eu dou a tecnologia pra você que te amenize a falta de potência que você perdeu na voz. Essa parte eu resolvo”, contou.
Em função da dificuldade no falar e que isso poderia prejudicá-lo na campanha, Lobão procurou a governadora e deu ‘autorização’, segundo Edinho, para o secretário Luís Fernando se viabilizar. “Meu pai esteve com a Roseana e disse pra ela deixar o Luís Fernando se viabilizar. Falou a ela que é candidato, mas se não puder, achar que não tiver condições, o Luís Fernando vai estar construído e segue a campanha do grupo”, declarou.

sexta-feira, 5 de abril de 2013

Em Araioses... A imprensa que eles querem...


    Cresce a preocupação dos situacionistas em saber a verdadeira identidade do misterioso e incomodo blogueiro ITAMAGÚ.

    O blog, de autor personagem, já passou desde o seu recente lançamento, da marca de mais de oito mil acessos. E tem se configurado uma pedra no fino e instável calçado do governo de Valeria Leal em Araioses.

    O recurso (uso de nome fictício) foi muito usado por pensadores, jornalistas e lideranças, em tempos muito obscuros da nossa historia. Onde militares mandavam e todo o resto apenas obedeciam. Eu me refiro à ditadura militar, vivida no Brasil no período de 1º de abril de 1964 até 15 de março de 1985.


    O regime dos militares suprimiu direitos, impôs deveres,fez cessar a liberdade dos cidadãos e como se bastasse,quis mandar até no que pensavam os brasileiros, suas vontades, escolhas e consciência.


    Mas apenas quiseram, por que o exercício do poder é uma arte, como Maquiavel nos ensina. E
sobressaiu a máxima; o conhecimento é poder, o conhecimento liberta. E diante das opressões e amarras daquele tempo, homens e mulheres, se utilizaram do anonimato para se proteger, mas acima de tudo, denunciar os abusos de poder das autoridades e lutar por mais liberdade.

    Hoje, os tempos são outros, o regime também, mas embora a democracia seja a realidade, o pensamento dos que estão no poder, parece não ter mudado muito até aqui.

    Corre o boa boato, que membros do governo, ameaçam utilizarem de todas as formas para descobrir quem esta por traz de ITAMAGÚ. E  ate uma empresa de Goiás seria contratada para rastrear o IP de origem das postagens.Quanto imaginação...Tudo por que alguns artigos deste blog,não bajulam o governo.Como faz o agora atual secretario de comunicação,Daby Santos,que para assegurar o status quo,foi capaz de vender sua alma ao diabo,assim como fez Judas Iscariotes,que por um punhado de moedas vendeu até sua dignidade.E de repente,tudo que era ruim e imoral,passou a ser bom,moral e defensável.

    Apenas para exemplificar, vejam o caos da saúde. Dele, nenhuma palavra de reprovação, mas sim o silencio pernicioso, complacente e covarde ao povo de Araioses.

    Aos que se opõem as vontades do novo coronel da cidade, resta à perseguição, humilhação e anulação social.

    Para dimensionar a capacidade de ação pelo ódio deste povo. Vejam o que aconteceu comigo: Bastou eu externar minha opinião nas redes sociais, para no dia seguinte eu receber em minha lanchonete, uma fiscalização surpresa da vigilância sanitária. E e logo depois, uma intimação da procuradoria do município,me exigindo que em 72 horas comparecesse no departamento tributário da prefeitura.

    E outra, coincidência ou não, relacionado ou não a qualquer situação reportada por mim aqui. O fato é que depois do lançamento do meu site; fui seguido de Araioses até o posto JP em João Peres, por voltas das 23 horas, quinta feira dia 28 de março, por um misterioso carro que ao chegar à entrada da comunidade, deu a volta e retornou rumo à sede.

    Diante de tais acontecimentos, fica o aprendizado. Em Araioses agora pode ser muito perigoso, de cara limpa, ter opiniões contrarias a dos poderosos.

    Se cuida Itamagú. Em Araioses agora temos ditadura e ditador.

    Marcio Maranhão

terça-feira, 2 de abril de 2013

Edinho Lobão é envolvido em esquema de sonegação fiscal


Polícia do Rio teve de interromper investigação sobre quadrilha de sonegadores, que seria ajudada pelo senador Lobão Filho e o deputado federal Eduardo Cunha. Motivo: o bando teria sido alertado sobre 'grampos' telefônicos pelo procurador-geral do MP do Rio, Cláudio Lopes
A revista Veja desta semana revela que está para chegar às mãos do procurador-geral da República, Roberto Gurgel, um documento de 35 páginas que traz à luz uma história estarrecedora.
Trata-se de um relatório secreto da Polícia Civil do Rio de Janeiro escrito dias depois da súbita interrupção das investigações que apuravam o tráfico de influência do deputado federal Eduardo Cunha (PMDB-RJ) e do filho do ministro de Minas e Energia, senador Edison Lobão Filho (PMDB-MA), o Edinho, em prol de um esquema milionário de sonegação fiscal.
Ele era operado, segundo a polícia, pelo empresário Ricardo Magro, dono da refinaria de Manguinhos, na Zona Norte carioca. O relatório, ao qual a Veja teve acesso, mostra que, por oito meses, a polícia seguiu, filmou e grampeou essas e outras dez pessoas na órbita de Magro.
Os investigadores flagraram conversas comprometedoras e até encontros em viagens e shows, que não deixam dúvida sobre o estreito elo entre os dois políticos e o empresário. O material subsidiou um inquérito contra o grupo que está agora sob análise do Supremo Tribunal Federal. Tal investigação seguiu de vento em popa até 2009, quando de repente paralisou.
Não havia mais como avançar. De uma hora para outra, os suspeitos não se falaram mais ao telefone. A polícia já sabe o motivo: o grupo foi alertado sobre o grampo pelo então procurador-geral do Ministério Público (MP) do Rio, Cláudio Lopes.
Em 2008, o Ministério Público do Maranhão investigou o senador Lobão Filho por suposta sonegação fiscal de R$ 42 milhões da distribuidora de bebidas Itumar, da qual Edinho foi sócio.
O senador teria colocado o nome de uma empregada doméstica – Maria Lúcia Martins – como sócia da empresa para se livrar da dívida com o Fisco.
Outro lado – O jornal Folha de S. Paulo ouviu o deputado federal Eduardo Cunha (PMDB-RJ), que negou que tenha sido informado sobre inquérito policial no qual é citado. Ele afirmou que o relatório da Polícia Civil não consta dos documentos enviados ao STF (Supremo Tribunal Federal), responsável atualmente pela investigação.
'Esse relatório não existe. Se ele foi feito, é clandestino. A polícia do Rio não tem atribuição para me investigar', disse o deputado à Folha.
O líder do PMDB afirmou que manteve contatos institucionais com o ex-procurador-geral de Justiça Cláudio Lopes, suposto responsável pelo vazamento. Entre os temas está, disse Cunha, a PEC 37, que retira o poder de investigar do Ministério Público.
'Tinha farta relação institucional com ele. Ele foi no meu gabinete umas três ou quatro vezes. Não tenho nada para esconder'. Cláudio Lopes negou que tenha repassado qualquer informação a Cunha sobre a investigação. Disse que o documento é forjado e que não tem relação pessoal com Cunha.
O empresário Ricardo Magro negou que tenha deixado de usar o telefone celular após o suposto vazamento de informação. Ele afirmou que só tomou conhecimento do inquérito em 2010, quando procurado pelo jornal O Globo, que à época revelou dados da investigação.
O Jornal Pequeno tentou ouvir ontem, por telefone, o senador Lobão Filho, mas até o fechamento desta matéria ele não havia retornado as ligações nem a mensagem deixada em seu celular.


(Veja Online, Folha de S. Paulo e Redação do JP)
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...