Páginas

terça-feira, 14 de agosto de 2018

A Água salgou de novo, e todos se perguntam para onde foi R$ 347.710,64 da desobstrução do Rio Santa Rosa?

Quase trezentos e cinquenta mil de verba federal encaminhados ao município através do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transporte – DNIT, à AHINOR – Administração das Hidrovias do Nordeste, de acordo com o contrato nº 751/2017 de 11 de dezembro de 2017, e a empresa Pacheco e Oliveira LTDA, responsável por realizar a obra de desobstrução do Rio Santa Rosa, em seus pontos mais críticos, que fica na região do Remanso. 



A obra iniciada no mês de dezembro do ano passado, foi uma verdadeira demonstração da falta de respeito com o dinheiro público e o interesse coletivo. A menos de 4 meses para acabar o ano seguinte ao início da obra que deveria demorar no máximo 45 dias, ninguém consegue justificar o fato da situação continuar do mesmo jeito e tão pouco o desaparecimento dos trezentos e quarenta e sete mil, setecentos e dez reais e sessenta e quatro centavos. 

No início de agosto, o vereador Arnaldo Machado, já havia denunciado a situação, inclusive manifestando especial preocupação com a região do Remanso, que tem solo fértil, é importante produtora de banana e uma das maiores bacias leiteiras da região, agora ameaçada pela escassez de água potável tanto para o manejo dos animais, como para o consumo humano, o que em pouco tempo inviabilizará a produção do leite, principal fonte de renda dos moradores do povoado. 

A CIDADE TODA SOFRE 

Com a salinização do Rio Santa Rosa, outros importantes afluentes são diretamente afetados, é o caso do Rio Magú, que desemboca no Santa Rosa, mas recebe suas águas na maré alta, tornando-a impropria para o consumo. 

O Rio Magú é reservatório principal e talvez único da Companhia de Saneamento Ambiental do Maranhão – Caema no município, que coleta suas águas e a fornece para a toda a cidade, o que torna a situação gravíssima e urgente, porque com a obstrução do rio e por consequência a salinização das suas águas, uma cidade inteira fica desabastecida e sujeita a todo tipo de enfermidade provocada pela água em condições inadequadas.

Marcio Maranhão
Imagens Arnaldo Machado
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...